Investindo em ações: três passos fundamentais antes de começar a aplicar Destaque

Vote it
(0 votos)
Postado por  Publicado em Ciências Contábeis

SÃO PAULO – Com a popularização do mercado acionário, cada vez mais investidores têm buscado na bolsa de valores uma alternativa para diversificar suas aplicações e garantir ganhos mais expressivos.

Mas algumas características deste mercado precisam ser entendidas antes do investidor tomar a decisão de começar a operar. Afinal de contas, se na renda fixa os riscos de perder dinheiro são baixos, o mesmo não ocorre com os investimentos em ações, principalmente para quem está começando.

Check up inicial

Em primeiro lugar, antes de aplicar na Bolsa, você tem que ter certeza de que tem o perfil adequado para este mercado. São pelo menos cinco condições que precisam ser checadas: o risco que você está disposto a correr, o tempo no qual irá manter o dinheiro investido, o volume de recursos, quanto tempo dispõe para seguir o mercado e, por fim, qual sua postura diante de possíveis perdas.

Ao optar por investir em ações você deve saber que ganhos não são garantidos, pois este é um mercado de renda variável. Não importa que exista uma longa tendência de alta, pois isso pode mudar rapidamente. Isso é válido, sobretudo, para quem investe sem uma perspectiva de longo prazo. Já para quem coloca o dinheiro na Bolsa olhando um prazo mais longo, o risco de perder dinheiro diminui consideravelmente.

Outra questão importante é saber o quanto você tem disponível para investir. Dependendo do valor que você tiver, a aplicação em Bolsa pode não ser a melhor opção. Da mesma forma, o tempo que você tem para acompanhar o mercado pode definir qual caminho será o mais adequado para aplicar neste segmento. Por fim, investimento em ações exige sangue frio, ou seja, é preciso saber tomar decisões racionais e não se deixar envolver pelo lado emocional.

Qual a melhor forma de investir?

Para entrar no mercado de ações, o investidor tem algumas opções: a aplicação direta, que é a mais difundida no mercado; os fundos de investimentos em ações e os clubes de investimentos.

Na aplicação direta, você deve abrir uma conta em uma corretora de valores e estar ciente de que serão as suas decisões que irão determinar se o investimento trará lucro ou prejuízo.

Aplicando em um fundo de investimentos em ações, você coloca seu dinheiro na Bolsa sem ter que escolher em quais ações irá investir. Isso porque esta decisão é passada ao gestor do fundo, um profissional que se dedica integralmente à atividade de acompanhar o mercado e identificar as melhores alternativas. Por outro lado, você irá pagar uma taxa de administração para remunerar este serviço, o que pode reduzir a rentabilidade da aplicação.

Outra opção é aplicar através de um clube de investimento, que é uma alternativa cada vez mais difundida junto ao pequeno investidor. Neste caso, você pode aplicar em um clube já formado ou juntar um grupo de amigos e investir de forma coletiva, tendo participação ativa na gestão do investimento.

Dentre estas três alternativas, você deve analisar qual faz mais sentido para o seu caso, sempre lembrando que poderá migrar para outra opção se não se sentir confortável ou se não obtiver o resultado esperado.

Por onde e com quem investir?

Uma vez tomada a decisão de investir na Bolsa e escolhida a forma mais adequada para seu perfil, resta saber através de qual instituição será feita a aplicação. No caso da decisão ser por fundos de investimento, é fundamental analisar não somente o histórico do fundo em questão, mas também do gestor. Esta é uma pergunta que não pode faltar.

Muitas vezes um fundo de ações mostra um desempenho histórico expressivo, mas isso pode mudar rapidamente se ocorrer mudança na equipe que gere o fundo. Por isso, na hora de escolher um fundo de investimentos, não se esqueça de investigar também quem são os gestores e checar qual o seu histórico. Deixe claro também que gostaria de ser informado a respeito de qualquer mudança na equipe que administra o seu dinheiro.

Caso você decida por uma corretora de valores, a primeira decisão é como irá investir, ou seja, através do telefone ou diretamente por meio do home broker da corretora escolhida, ferramenta na internet que permite a negociação direta. Esta é a primeira escolha que você tem a tomar, lembrando que a maior vantagem do home broker é o custo mais baixo.

Já na hora de escolher sua corretora, analise a reputação e histórico da instituição, além, é claro, da qualidade dos serviços. Uma dica importante é buscar opiniões de usuários que já investem, que podem representar uma referência fundamental para a avaliação.

Fonte: InfoMoney

Última modificação em Terça, 03 Abril 2012 17:40
Webmaster

Web & TI

 

Website.: www.facmais.edu.br

ASSINE A NEWSLETTER

Mantenha-se atualizado sobre as últimas noticias:

Conecte em nossas redes sociais

Twitter